Dom Basílio: Protesto na BA-148 termina em confusão; motorista chegou a ser agredido

Foto: Reprodução.
Foto: Reprodução.

Do L12 Sudoeste

É comum nos depararmos com situações de fechamento das vias públicas por parte de movimentos sociais, como o que ocorreu na sexta-feira (20), na BA-148, na entrada do Município de Dom Basílio.

Determinados movimentos ou grupos que, ao seu arbítrio, fecham estradas e rodovias, impedindo a circulação de pessoas e bens, causados transtornos e prejuízos passíveis de ações judiciais e, ainda, incidência em diversos tipos penais, são merecedores de uma maior resposta estatal.

A análise de mérito e a discussão sobre a pauta reivindicada, no caso, episódio em Dom Basílio, não serão questionados.

Manifestantes compostos por irrigantes cobravam posicionamento por parte da Agência Nacional de Águas (ANA) e do DNOCS sobre assuntos ligados ao gerenciamento da demanda de água da Barragem Luiz Vieira, em Rio de Contas. Eles reivindicam uma fatia do recurso hídrico para atendimento à agricultura no município.

Até aí tudo bem. Uma pauta extremamente relevante e digna de atenção.

Ocorre que, o método escolhido, aparentemente foi o do conflito entre dois direitos: O de protestar e direito de ir e vir da população.

Utilizando um caminhão atravessado e pneus, manifestantes bloquearam totalmente as duas faixas da BA-148, na altura do entroncamento de entrada do município de Dom Basílio, atingindo em cheio o direito fundamental de ir e vir, previsto pela Constituição Federal.

A manifestação provocou uma fila de ônibus, veículos de passeio e de caminhões, impedidos de passar. Alguns motoristas resolveram negociar a passagem, mas um dos lideres do movimento, visivelmente descontrolado e sem capacidade de diálogo, partiu para agressão física contra um dos motoristas que reivindicavam o seu Direito de passagem.

O tumulto só chegou ao fim com a chegada da Polícia Rodoviária Estadual e da Polícia Militar.

Para motoristas que se depararem com esse tipo de situação, é importante solicitar o apoio da Polícia Rodoviária, para que envie guarnições para auxiliar no trabalho de negociação. Não é recomendável se indispor com as lideranças mais violentas e aguardar a presença da Polícia que negociará a liberação da via no menor tempo possível e garantindo a segurança e integridade física dos motoristas nesta situação de exceção e temporária.


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

ENVIAR MENSAGEM
1
Estamos Online!
Ola! Quer mandar a sua sugestão de pauta ou anunciar com a gente?