Caro leitor,

Faço aqui meu convite para desfrutar de uma leitura que visa esclarecer ,que os indivíduos que buscam auxílio para cuidar da própria saúde mental não são tão enfermos, quando comparados com uma sociedade que negligência a importância dessa temática.

Apesar do contexto atual social ser permeado por inúmeras fontes de informações, que visam proporcionar o desenvolvimento intelectual do indivíduo, ainda há determinadas temáticas que possuem rótulos errôneos, e por conseguinte dificultam uma maior divulgação e esclarecimento. E justamente por esse fator, no ano de 2014 em Uberlândia no estado de Minas Gerais, o psicólogo Leonardo Abrahão promoveu a inserção do Janeiro Branco ao calendário colorido da saúde, cujo intuito foi obter respaldo para o tratamento da saúde mental e emocional.

De forma indubitável o tabu, o qual permeia a saúde mental deve-se ao fato de uma construção histórica em que se associava o termo mental à loucura,  desse modo, essa concepção refletiu-se no senso comum social, que julga o bem-estar por um viés limitado apenas ao pleno funcionamento fisiológico, entretanto, esse pensamento é equivocado, visto que de acordo com a Organização Mundial da Saúde, o conceito, saúde, possui diversas vertentes que juntas compõem o conceito integral, como os cuidados com o físico, intelectual, emocional e psíquico. Além disso, com o perpassar da pandemia esse fator obteve respaldo, pois com o enclausuramento dos civis em suas próprias residências e o crescimento continuo de óbitos decorrentes de um vírus ainda desconhecido, ocasionou a potencialização do desgaste emocional.

A partir desse ponto, é possível afirmar que um fator que amplifica essa degradação do bem-estar é que, o contexto hodierno é permeado por diversos estímulos e facilidades cotidianas, as quais são proporcionadas pela tecnologia como, redes sociais, aplicativos de comida e plataformas de filmes. No entanto esses inúmeros recursos quando não gerenciados de modo correto tornam-se extremamente prejudiciais, já que desencadeiam a sensação de ambição por algo que preencha a sensação constante de vazio e assim gerando a ansiedade, a melancolia também por estarmos sempre nos comparando, às pessoas com uma aparente vida perfeita em mídias sociais.  E assim, analisando por essa perspectiva parece uma grande bagunça, em que não sabemos  o que fazer para recomeçar, certo? Estou realmente vivendo ou apenas observando os dias passarem, sem dar a eles nenhum significado? É através do cuidado com a saúde mental que desatamos esse novelo de lã caótico da nossa própria existência.

Para finalizar, realizei a seleção de práticas comuns que auxiliam com o início da busca pelo próprio bem – estar

Alimentação saudável, já que a microbiota intestinal é revestida por terminações nervosas e quando nutrida por bons alimentos influencia na melhora do humor e disposição.

– Atividades físicas e risadas, proporcionam a liberação neurotransmissores (endorfina e serotonina) responsáveis pela alegria e prazer.

– Meditação, para que desenvolva a concentração e o foco no presente, diminuindo assim a depressão e ansiedade.

Sites, canais e livros que auxiliam no trabalho emocional 

Educa 21 – Estabelece parcerias com sistemas educacionais para trabalhar a inteligência emocional nos alunos.

Janeiro Branco – Visa esclarecer sobre a saúde mental e fornecer auxílio.

Rossandro Klinjey (Canal no Youtube) – Psicólogo com canal no youtube, o qual visa auxiliar os telescpectadores com a saúde emocional.

Haroldo Dutra Dias – Odisseia (Canal no Youtube) – Juiz e graduando em psicologia, através do canal odisseia no youtube visa esclarecer a respeito de temáticas da psicologia, promover os benefícios da meditação.

Livro: As coisas que você só vê quando desacelera, do autor Haemin Sunim.

Monja Coen (Canal no Youtube)

 

Share.

Marcos iniciou este website em 2010 e já escreveu muitos artigos sobre diferentes temas. Atualmente, ele está estudando jornalismo na Universidade Estácio de Sá.

Deixe um comentário

Exit mobile version