Cicloturismo em Rio de Contas Chapada Diamantina, Bahia

Por: Igor Sena

Pedalar pela cidade de Rio de Contas é uma atividade que requer um pouco de cuidados, pois o calçamento de pedra de suas ruas exige que o deslocamento seja feito com muita atenção e algumas vezes, o mais devagar possível, por causa dos tombos provocados pelas irregularidades da pavimentação de pedra. Mas este fato não nos tira o prazer de mergulhar em um pedal que nos leva ao pedaço passado.

Rio de Contas está localizada no Sul da Chapada Diamantina na Bahia e sua história é marcada pela atividade extrativista. Os primeiros habitantes da região foram escravos alforriados e fugidos que se reuniram no Arraial dos Crioulos. A atividade extrativista do século XVIII levou a cidade a viver uma fase de grande prosperidade econômica, onde a abundancia do ouro era esbanjada pelas famílias.

Mas o tempo de prosperidade decaiu em 1800 com a escassez do ouro e a descoberta de diamantes em outra região da Chapada Diamantina, o que fez com que as pessoas da cidade de Rio de Contas, muitas delas que haviam fundado a cidade, se mudassem para Mucugê em buscar de riquezas.

Desta época restou a arquitetura estilo colonial tombado pelo IPAHN em 1980, o conjunto arquitetônico de Rio de Contas reúne praças e ruas que ainda apresentam o traçado antigo, com monumentos públicos, religiosos em pedra, casas em adobe e igrejas barrocas.

São 287 edificações entre elas se destacam a Casa de Câmara e Cadeia conhecida como a mais temida do alto sertão — Atualmente secretara de turismo e secretaria ambiental. A Igreja do Santíssimo Sacramento (Figura 01) e a Igreja de Santana (Figura 02) construída por escravos na primeira metade do século XIX, o Teatro São Carlos inaugurado em 1892, se encontra entre os 10 mais antigos do Brasil, o mais antigo da Bahia. (Figura 03)

Mas a Cidade de Rio de Contas não é feita só de pavimentação de pedra e ícones da arquitetura colonial. Para quem tem disposição de pedalar as estradas de chão revelam lugares e paisagens incríveis, um deles é a cachoeira do Fraga que não está muito longe do centro da cidade. O lugar é um pedaço de paraíso, o rio em um tom de marrom corre pelo meio das árvores formando piscinas onde o banho é convidativo, pouco adiante meio as pedras começam as quedas.

A arborização natural ao longo margem oferece um ambiente agradável onde as pessoas costumam se reunir, a estrutura é simples, porém acolhedora, os visitantes podem encontrar petiscos e bebidas no local. O acesso ao banho pode ser feito no nível de cima onde há uma piscina antes das quedas, ou na parte abaixo da cachoeira onde há um enorme poço onde dá para se banhar na queda d’água.

É possível pedalar pela estrada de chão da Barragem Luiz Vieira, e apreciar o seu enorme espelho d’água que desaparece por entre as montanhas verdes no horizonte.
Não muito longe, há alguns quilômetros à frente um pedal suave por entre plantações e morros verdes que aparecem ao horizonte por todo o caminho, encontramos a Fazenda Vaccaro. Um lugar incrível, para que gosta de recreação familiar o espaço oferece uma estrutura completa, hospedagem, restaurantes, bares, quiosques, salão de jogos, tirolesa, passeios, e o visitante ainda pode se banhar nas cachoeiras da propriedade que formam belas piscinas oferecendo um banho muito relaxante. E para aqueles que gostam de uma trilha podem se aventurar por caminhos que levam aos mirantes desfrutando de uma vista muito bonita da paisagem.

A Ponte do Coronel é mais um grande atrativo natural da cidade de Rio de Contas, com corredeiras mais suaves suas águas frias que escorrem pelas pedras refrescam os banhistas. O local também conta com uma pequena estrutura de bares e espaço para acampar. No fim de semana é possível encontrar pessoas que costumam se reunir para acampar nas margens do rio.

Próximo dali, podemos encontrar as comunidades quilombolas de Barra e Bananal, quilombos que ainda resistem tentando conservar suas características culturais e modo de vida. Ambos os quilombos são lugares que oferecem um ambiente de muita simplicidade, mas uma beleza natural de se admirar. O quilombo de Barra conta com associação quilombola, espaço cultural e artesanato local, já o quilombo de Bananal oferece é mais simples e oferece acesso a um trecho da barragem e uma vista incrível das montanhas que contrastam com o espelho d’água.

No caminho de volta para Rio de Contas é possível fazer um desvio e conhecer a comunidade do Jiló, mas um lugar simples e carregado de belezas naturais para conhecer.
Do outro lado da serra seguindo por estradas de terra é possível encontrar a comunidade de Brumadinho, um lugar pequeno e rico em simplicidade. A agricultura familiar é o forte do local e pode ser vista por todas as partes. A paisagem é o que mais chama atenção, formações montanhosas de paredões podem ser vistas emergindo tão de perto que parece saltar diante dos olhos. A comunidade é esbanja simplicidade e as pessoas são bastante sociáveis, o que nos deixa tranquilos para iniciar uma aproximação e se quiser, até tentar um acampamento no local, o que pode resultar em uma ótima experiência, pois o pôr do sol é uma obra de arte da natureza.


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

ENVIAR MENSAGEM
1
Estamos Online!
Ola! Quer mandar a sua sugestão de pauta ou anunciar com a gente?